quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

O que o discípulo missionário sabe?

"O discípulo missionário sabe que, para efetivamente anunciar o Evangelho, deve conhecer a realidade à sua volta e nela mergulhar com o olhar da fé, em atitude de discernimento".
(Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil)

Divisão entre os cristãos...

Audiência: "As divisões entre os cristãos são um escândalo a superar"



Cidade do Vaticano (RV) – Cerca de 15 mil pessoas participaram esta quarta-feira da Audiência Geral com o Papa Francisco, na Praça S. Pedro, apesar da chuva.

A catequese do Pontífice foi dedicada à Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, em andamento nos países do hemisfério norte (no Brasil, essa Semana é realizada entre Ascensão e Pentecostes) – uma tradição que se repete há mais de 100 anos.

Anualmente, um grupo ecumênico de uma região do mundo sugere um tema e prepara subsídios para a Semana, sob a guia do Conselho Mundial de Igrejas e do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. Em 2014, os subsídios foram preparados pelas Igrejas e comunidades cristãs do Canadá e têm como referência a pergunta dirigida por São Paulo aos cristãos de Coríntio: “Cristo estaria dividido?” (1 Cor 1,13).

“Certamente não”, respondeu Francisco. Todavia, “devemos reconhecer sinceramente, com dor, que as nossas comunidades continuam a viver divisões que provocam escândalo”.

“O nome de Cristo cria comunhão e unidade, não divisão!”, prosseguiu o Papa, explicando que o Batismo e a Cruz são elementos centrais do discipulado cristão que temos em comum. “As divisões, ao invés, enfraquecem a credibilidade e a eficácia do nosso empenho de evangelização e correm o risco de esvaziar a Cruz da sua potência.”

Paulo repreende os coríntios por suas brigas, mas dá graças a Deus por eles terem sido cumulados de todas as riquezas, todas as da palavra e as do conhecimento. Para Francisco, esta atitude do Apóstolo é um encorajamento para nós e para cada comunidade cristã a reconhecer com alegria os dons de Deus presentes em outras comunidades. “Não obstante o sofrimento das divisões, acolhamos as palavras de Paulo como um convite a alegrarmo-nos sinceramente das graças concedidas por Deus a outros cristãos.”

Nos subsídios preparados pelas comunidades cristãs do Canadá, há um convite não a pensar naquilo que podemos dar aos nossos vizinhos cristãos, mas a encontrar-se para compreender aquilo que cada uma das comunidades pode receber das outras. “Para isso, requer-se humildade, reflexão e contínua conversão”, afirmou o Pontífice.

Após a catequese, o Papa saudou os vários grupos presentes na Praça; entre eles, os sacerdotes da Diocese de Catanduva (SP) e os participantes do encontro anual dos coordenadores regionais do Apostolado do Mar, exortando-os a serem a voz dos trabalhadores que vivem longe de suas famílias e enfrentam situação de perigo e dificuldade.

Francisco recordou ainda o encerramento, no próximo sábado, da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, festa da Conversão de São Paulo. A Rádio Vaticano transmitirá esta cerimônia ao vivo, direto da Basílica de São Paulo Fora dos Muros, a partir das 17h20 (14h20 – horário de Brasília), com comentários em português.



Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2014/01/22/audi%C3%AAncia:_as_divis%C3%B5es_entre_os_crist%C3%A3os_s%C3%A3o_um_esc%C3%A2ndalo_a_superar/bra-766185
do site da Rádio Vaticano 

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

A exclusão é muito mais grave...

"A exclusão é muito mais grave que a marginalização. Os marginalizados estão dentro do sistema, à margem. Confrontam-se com o subdesenvolvimento e buscam o desenvolvimento através da integração ao sistema. Os excluídos estão fora. São considerados zeros econômicos. Não existem. Estes confrontam-se diretamente com a morte. E morrem antes do tempo". (Leonardo Boff)

Como vive o povo

"Os pés do povo estão ensanguentados pela carência de emprego, desigualdade crescente, má alimentação, doenças e insegurança nas maiorias".
(Diego Irarrázaval: presbítero. Presidente da Associação de Teólogos do Terceiro Mundo)

domingo, 19 de janeiro de 2014

O cristão na América Latina

O cristão na América latina tem que ser corajoso. Precisa olhar para o mais necessitado e tomar uma decisão coerente com a vontade de Deus. O grande teólogo da América latina, Gustavo Gutiérrez, disse: "Os maus tratos ao pobre, em cujo rosto devemos ler o rosto de Jesus, violam a justiça e ofendem a Deus". Como é difícil ver o rosto de Cristo no rico.
(CARLOS)

Comunidade: lugar de comunhão

Ninguém é uma ilha no mundo, precisamos do outro, da vida em comunidade. Quem vive numa comunidade tem obrigação de saber as necessidades da mesma. Uma das coisas que deve-se cuidar é da relação de ajuda, do compromisso com a verdade. É muito estranho numa comunidade se adotar a exploração do homem pelo homem. Alguém viver às custas do outro e ainda por cima maltratando, humilhando, diminuindo. É inaceitável. 
É essencial a vida em comunidade e viver de acordo com o bem comum, partilhando a palavra, o alimento, o sofrimento e a alegria. "A vida em comunidade é certamente, uma aspiração e uma necessidade de todo ser humano" (PANAZZOLO). Ninguém consegue viver fora de uma comunidade, ausente da mesa da palavra. Vamos cuidar de nossa comunidade para que ela não seja derrotada pelo egoísmo, ódio e rancor.